terça-feira, 8 de julho de 2014

Elementais deviam ser atores


 Boa-noite a todos! Não vou perguntar se estão bem porque depois do papelão da que a seleção brasileira fez na copa, é óbvio que não estão. Tenho certeza de que se o Neymar estivesse nesse jogo, o resultado teria sido menos vergonhoso. Mas deixemos isso para lá!

  Eu precisei de um tempo até ter certeza absoluta de que os contatados pelos elementais passavam por experiências semelhantes as minhas. Não foi à toa que eu decidi adicionar meus seguidores no face. Eu fiz isso com o intuito de acompanhar mais de perto seu crescimento espiritual e comparar suas experiências com minhas próprias. Eu precisava ter certeza de que não era maluca. 
  Percebi que muitas pessoas gastam tempo e dinheiro com rituais complexos para atrair os elementais e no final, não obtêm resultado algum. Já outras pessoas, com menos recursos financeiros, fazem rituais bem mais simples - a maioria sem velas e incensos - e conseguem atrair os elementais. Eu demorei a entender porque isso acontecia. Parecia injusto com as pessoas que faziam de tudo para impressionar esses seres não conseguirem atraí-los, ao passo que os outros, sem tanto esforço, obtinham êxito facilmente. Pensei que, talvez, pudesse ser por falta de dons mediúnicos, mas a resposta, no fundo, eu conhecia. Embora, ignorasse. Não são as velas ou incensos que atraem os espíritos. Óbvio que elas sã fundamentais para estabelecer contato e criar uma 'ponte' entre ambas as dimensões, mas o que realmente desperta a atenção dos espíritos é a nossa devoção e fé cega.  
  Elementais se alimentam de nossas crenças. É isso o que dá poder a eles. É isso o que os fortalece e os mantêm vivos, nossa fé neles. Por isso, eles preferem lugares com muita energia, como Stohenge. Em lugares onde as pessoas acreditam na existência deles, é mais fácil de eles se manifestarem. Calma que, você não precisa se mudar para Galês ou para a Irlanda só para ver elementais. Não é isso. O que eu quero dizer é que você deve "alimentar" os elementais. Se eles gostam de lugares carregados de energia, torne-se uma irresistível fonte de energia. Mas como fazer isso? Primeiro, você deve perguntar-se: O que é a verdadeira magia para você? O que eleva suas energias ao máximo e te faz sentir mais próximo dos elementais? Talvez um livro, um filme ou uma música. Por exemplo, sempre que eu assisto As Crônicas De Spidwick, me sinto feliz por poder ver elementais e sempre que assisto Da Magia À Sedução, acredito que vale à pena ser uma bruxa. Bem sabemos que os filmes trabalham a mente, a visualização, etc. Os livros trabalham o intelecto mental e as músicas harmonizam a alma. Sendo assim, você deve se ligar mais à arte, à  música e à literatura. As pessoas que passam muito tempo sozinhas lendo ou vendo filmes, tendem a ser mais criativas. E, às vezes, elas podem gostar tanto de ler, por exemplo, que podem se apegar a um livro em particular e ficarem obcecadas por aquele universo e aqueles personagens. Os elementais se sentem atraídos por pessoas com uma boa imaginação - especialmente as fadas - e como, eles adoram "brincar" e interpretar personagens que habitam nosso interior, eles bem podem se fazer passar por um personagem famoso. Já assistiu Harry Potter (ou qualquer outro filme) e ficou tão fascinado com o que viu a ponto de ter alguns sonhos recorrentes com isso. Na verdade, todos aqueles personagens fictícios que invadiram seus sonhos, dando um show que, de tão bem feito, parecia real, podem ter sido elementais disfarçados. E o pior é que, você não levou isso a sério. Afinal, é normal sonhar com o Jensen Ackless ou com o Misha Collins vez ou outra. E quem imaginaria que um elemental seria louco o bastante para tomar a forma de Dean ou Castiel e vir em seus sonhos? Os elementais tem o poder de alterar sua forma física. Ou seja, eles podem se transformar em qualquer ser vivo, mesmo que ele seja famoso. E eles adoram tomar a forma de celebridades porque elementais são preguiçosos. Eles detestam chegar e se apresentarem, dizendo:
-Oi? Eu sou uma ninfa e me chamo Esperança.
  Eles preferem pular essa parte. Justamente porque eles não podem dizer seus verdadeiros nomes aos mortais e também para não nos assustar. 
Um elemental que queira se mostrar a um humano, vai se manifestar, principalmente, no plano onírico (nos sonhos) e, provavelmente, assumirá a forma de alguém a quem a pessoa tenha mais admiração. Se você é fanático pela Katy Perry. Só pensa nela, só respira ela e só fala dela, é como a Katy Perry que uma fada ou ninfa vai se apresentar a você. Embora isso pareça maluquice pura, faz todo sentido. E se você observar bem, um elemental é descuidado, às vezes, e sempre deixa transparecer sua verdadeira natureza. A Katy Perry não voa, certo? Pois, se no seu sonho, ela voar, pode ter certeza de que se trata de um elemental disfarçado. Eles sempre dão alguma mancada. É só ficar atento. 
 Logo que eu contatei os elfos, eu era fanática pelos Backstreet Boys - acho que fanática é pouco -. Passava o tempo todo vendo os clips deles e escrevendo uma fanfic sem fim sobre eles. Os elfos se aproveitaram dessa minha obsessão e se apresentaram a mim como eles. Eu passei a ter sonhos recorrentes (duas ou três vezes por semana) com o BSB. Eles cantavam especialmente para mim, mas detalhe, não eram as músicas deles. Eram músicas que eu nunca ouvira antes e, todas em um idioma estranho (provavelmente élfico). Eles também dançavam divinamente, mas sua dança era incomum assim como sua música. Eu nem sabia metade do que sei hoje. Então, sequer sonhava que podiam ser elfos. Eu fico um pouco envergonhada de falar nisso, mas desde então, nunca mais consegui ver Howie, Nick e A.J de outra forma. Eu amo o BSB, mas evito ouvi-los porque foi isso que deu corda a minha fantasia doentia com os elfos. Lily me disse que, eles podem se tratar de tulpas, já que, em certos casos, eu consigo controlá-los. Não sei. Talvez, ela tenha razão. Tulpas se originam de veneração contínua e, eu venerava o BSB continuamente. De fato, isso não importa mais porque os elfos estão desvanecendo aos poucos. Meus sonhos com eles ficam cada vez mais raros.
    Acho que você, Bruno, talvez tenha criado uma tulpa. Eu sei que Hocus Pocus (Abracadabra) é um filme fascinante e come little children também, pois então, ou você criou uma tulpa da bruxa Sarah ou atraiu uma ninfa (você disse que se sentia muito ligado à uma árvore em especial) que está "brincando" com você. Se acredita que pode ser a ninfa, então não há nada a temer. Você só precisa se concentrar um pouco antes de dormir e por pensamento, dizer que sabe que é uma ninfa quem está cantando para você e que você gosta da canção e quer ser amigo dela. Peça a ela para se mostrar a você. Diga-lhe que não vai lhe fazer mal algum. Se for mesmo um elemental, ela vai te responder. Elementais são ótimos atores. Às vezes, uma fada pode se passar por uma velhinha, um elfo por um vampiro e uma ninfa por uma bruxa. É surpreendente a capacidade de convencimento ou persuasão que os elementais tem.
  Bem é isso. Estejam atentos a seus sonhos! ©

Um Doce Canto que me Encanta

Heey Encantados e Encantadas!
Como vão?
Hoje quero falar sobre algo que anda acontecendo comigo quando tento pegar no sono e não consigo.
Eu acho que todo mundo já passou por aquele momento que quer dormir mas não consegue,então!Eu estou passando por isso mas com uma coisa sinistra acontecendo:eu ouço alguém cantando uma doce canção.Uma canção tão doce e com uma melodia tão lullaby que eu começo a ficar com sono.
A Dani perguntou para mim se eu acho que a canção é de uma Fada,mas não,não é.Eu sei que não é porque sinto que a voz é um tanto ameaçadora.Um tanto chamativa de mais.
Depois que eu vi um filme de Bruxas coisas estranhas desse tipo começaram a acontecer comigo.Parece que ás vezes estou dentro dele,mas daí tem sempre alguém para me acordar.
Eu não sei se o que estou vivendo é bom ou ruim,só sei que estou vivendo coisas sobrenaturais principalmente a noite.
Quando essa canção começa,automaticamente eu já imagino o céu escuro e casas.
Mas eu nunca tive coragem de ir até a janela,e a abrir para ver o que está acontecendo.
Na minha opinião não é nenhuma fada que está cantando isso e sim uma Bruxa,por exemplo.É o único acordo que cheguei comigo mesmo porque esse canto vem dos céus.
Sei que é muito difícil uma Bruxa voar em uma vassoura mas...não é impossível.
O Que aumenta a minha curiosidade é que moro perto de uma grande floresta,tem muitas árvores,frutos,plantas etc...e tem uma árvore que eu sempre encaro quando vou fechar a janela a tarde por causa do sol que bate em meu quarto e me atrapalha.É uma árvore com folhas da cor de folhas de outono,mas o engraçado é que não caem muito!
Eu ás vezes sinto que tenho uma relação com essa árvore ou já tive,uma relação amigável como se lá estivesse algum elemental e me conhecesse e eu também mas eu estivesse esquecendo desse encontro.
Quero finalizar essa postagem deixando o nome da música que essa "bruxa" canta quando vou dormir:Chama-se Come Little Children.
Agora vocês devem estar pensando:Nossa!O Bruno ta se iludindo!Ele quer entrar dentro do filme que viu!É só a imaginação dele!
Mas gente,me entendam por favor.Não é minha imaginação.Eu realmente ouço isso e é até mesmo com outra voz.E essa música me faz lembrar do meu passado,das partes boas dele.
Prometo que vou acompanhar este caso até o fim,e colocar tudinho aqui!
Realmente parece que eu entrei dentro do filme que vi chamado HOCUS POCUS mas sem tanta magia como ele.Eu não sei,estou meio confuso.
Abraços!Me desejem SORTEEE! hahaha!


segunda-feira, 7 de julho de 2014

Vampirismo energético


Yo! Como vocês estão? Quem digita aqui é a Viih, quanto tempo! Fico feliz em saber que tem outras pessoas colaborando no blog – ia postar ontem, mas tinha saído tantos posts que preferi deixar para hoje.
Sobre a minha sumida, a verdade é que eu andava muito cansada emocionalmente e fisicamente. Só queria saber de dormir e assistir anime. Mas estava sentindo que uma hora isso tinha que acabar, e junto com esse sentimento frustrante veio à volta as aulas. Minha escola estava em greve por algum problema no salário dos professores, já tinha quase dois meses. Agora que voltou, eu tenho que me acelerar nos estudos. E aquela rotina de passar o dia inteiro com a cara na tela do notebook, acabou. Mas no fundo, eu fico feliz. Não por ter que voltar a estudar – até porque estudar é um saco -, e sim porque sou obrigada a dar um “up” no astral. Já estava começando a ter medo das pessoas, acreditam?
Enfim, sobre o assunto de hoje, eu quero me antecipar e dizer que a Dani já postou sobre Vampiros Astrais no blog. Só vou dar uma continuidade e falar um pouco mais sobre o tema.

Sobre ser vampirizada, acho que sou uma expert no assunto. Passei anos como um robô, cansada de tudo, desmotivada, sem vontade de viver... Etc. Tinha momentos em que eu rezava pra cair um raio na minha cabeça e acabar com aquele tédio que me consumia. Cheguei a entrar em depressão, e minha mãe fazia de tudo para me levar em um psicólogo. É quando sua mãe começa a te chamar de maluca, que você percebe que a coisa tá feia pro seu lado.

Pois bem, os vampiros energéticos não vivem apenas no astral, eles podem estar encarnados também. Alguns deles não fazem por mal, mas inconscientemente tendem a sugar a energia das pessoas. Quando alguém imagina isso,  logo pensa, “poxa, se ele suga minha energia e de outras pessoas deve ser uma pessoa bem disposta...”. Na verdade é o contrário. Raciocinem comigo, ele suga energia inconscientemente e tende a fazer isso o tempo todo sem parar. Não faz isso por que quer, mas porque seu espírito já está acostumado com tal coisa.
Imagine uma multidão de pessoas no centro da cidade. Preocupadas com o trabalho, família, coisas inacabadas... Com energia negativa para dar e vender. Uma pessoa sugando toda essa energia densa deve se sentir um entulho de lixo no fim do dia. Claro que pessoas assim não são boas, sempre tende a serem encrenqueiros, tagarelas (não que isso seja um defeito, mas tem pessoas que passam do limite da sanidade mental), sedentos por sexo (os famosos vampiros sexuais), que reclamam faça chuva ou faça sol... Enfim, com os pensamentos rodeados de coisas ruins.
A única coisa que se pode fazer contra pessoas assim é se afastar, não é só dizer pra parar que ela simplesmente o faz. Ela pode nem saber do que se trata o vampirismo energético.

Agora quanto ao vampiro astral, é só um descarado que não tem mais o que fazer. O que leva a um espírito fazer isso? É muito simples, depois do desencarne, ele não conseguiu se livrar dos vícios da dimensão física. O prazer do sexo, das bebidas alcoólicas, de coisas que só existem aqui. Pessoas viciadas, que tendem a continuar procurando os prazeres na dimensão astral, e como não encontram, procuram alguém do plano físico para sugar sua energia. Como tal sensações não duram por muito tempo, vão atrás de outras pessoas, se tornando um vampiro astral. Eles podem até se fixar em certas pessoas, persuadindo-as, fazendo com que façam certas coisas para “fabricar” a energia que precisam. Deve ser principalmente por isso que eu prefiro manter distância das pessoas, e nunca ando em um grupo muito grande. Quando estou rodeada por muita gente, eu sinto minha energia toda ir embora, e o único momento em que isso acontece é na escola (por ser o único momento que saio de casa, dãã). E também, eu sou uma pessoa fácil de ser persuadida – mais um motivo de não ter muitos amigos fora da internet.
Quanto ao fato de como não se tornar uma pessoa vampirizada, a única coisa que tenho a dizer é sempre andar com pensamentos positivos e amar todos ao seu redor. Pode ser complicado em certos momentos, mas vampiros astrais se aproveitam de ocasiões difíceis.

E por fim, para pessoas que sentem certo receio quando falam de espíritos e plano astral, foquem nessa frase: “Não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual, somos seres espirituais vivendo uma experiência humana. ©

domingo, 6 de julho de 2014

Músicas Doces para as Fadas

Oiee Pessoal!!!
Como vão?
Para quem ainda não me conhece,eu me chamo Bruno de Vitto.Eeu espero que vocês gostem muito de mim!!!Sou fã de Once Upon A Time,Katy Perry,Taylor Swift e meu filme preferido é HOCUS POCUS (Abracadabra da Disney).Sempre gostei de Magia,Magia Branca.Amo sonhar com coisas boas,com outras dimensões,amo ser livre para acreditar no que quero.E amo o amor,acho que é um dos sentimentos que preserva toda a Magia necessária.E também amo meus amigos e amigas!!!!
Hoje eu trouxe um assunto bem interessante para você que tem muita vontade de atrair uma Fada de um jeito mais fácil.Gente,nem sempre dá certo ok?Mas se não der continue tentando,tente as outras maneiras também.
Vamos lá!Um dos jeitos mais fáceis na minha opinião,de atrair uma Fada é cantando essa música com um tom suave e doce,nada de tom rock ou rock-pop.Tem que ser de um jeito doce e suave,como um ritmo de canção de ninar para um bebê.
Aqui está a música que você deve cantar:

Canção para chamar as Fadas

Venham fadas para a sua morada!
Venham para a sua hora dourada!
Venham até nós por favor!
Fadas dancem com louvor!

Espíritos do Ar!
Formosas criaturas do lar!
Venham fadas, venham me abraçar!
Estou aqui para te contemplar!
Venham para a minha canção!

Me ajude com a sua varinha de condão!
Venham enfeitar a natureza!,
E seduzir todos com sua mágica pureza! 

Lembrem-se de que se não deu certo cantar a música e atrair as fadas,que as Fadas precisam ter confiança em você,e quanto mais você ter medo delas menos chance de conhece-las você terá ou de conhecer uma fada medrosa que provavelmente,não será a que você procura para ser sua fada de confiança.Então,ao atrair uma delas seja livre para sentir sentimentos bons,aprendi isso com a minha amiga.
Sei que ás vezes dá medo,mas vá trabalhando seu medo que tudo vai dar certo!
Fadas gostam de músicas doces e não de músicas muito barulhentas,lembrem-se disso!
Curiosidade:Quando eu cantei essa música consegui ouvir o barulho de asas perto de mim,vindo cada vez mais perto,mas as vezes,parecia que estava longe.Fiquei sim com um pouco de medo,e desisti do que eu estava fazendo.Toda vez que canto essa música algo diferente acontece com o ambiente.E um dia vou ter a coragem necessária para deixar isso fluir.

Como atrair as fadas meninas

 Bonjour! Puxa! Parece que todo mundo resolveu postar hoje nesse blog. Legal!
Eu sou Giovanna Lynn, para quem ainda não me conhece. Me considero uma garota extrovertida e meio maluquinha. rsrs. Acho que vocês vão gostar de mim. Sou super fã da Katy Perry, de PLL e RBD. Sou romântica e amo poemas! Ainda não publiquei nenhum livro, mas pretendo publicar futuramente. 
   Sigo a Fairie Wicca - ainda não sou iniciada - e entendo um bocado de elementais! 
Não sei com qual frequência eu postarei porque estudo e faço alguns cursos. Mas, sempre que eu tiver um tempinho livre, prometo que postarei algo. Oui? Rsrs. Eu tenho mania de falar francês às vezes. Não estranhem.

  Hoje, eu vou falar as fadas meninas. Você certamente deve ter ouvido falar delas. Elas são adoráveis, meigas e fofas. Porém, travessas. Quando invocadas por um humano, elas ficam nas pontas dos pés e dão uma espiadinha pela janela para ver os que os humanos estão fazendo. Já olhou alguma vez para a janela e teve a impressão de ter visto alguém te olhando? Bem podia ter sido uma fada menina!
   Elas só entram na casa se sentirem que as pessoas que ali moram são amistosas. 
Atraídas por aromas, cores e conforto, elas se sentem seguras em um quarto bem arrumado e aconchegante. Se elas adoram brinquedos. Por isso, não estranhe se uma de suas bonecas cair no chão de repente. Pode ter sido ela tentando pegar a boneca para brincar.
Por serem muito novinhas, essas fadas, às vezes, se esquecem de que não podem ser vistas por olhos humanos e, quando sentem uma pessoa se aproximando, correm e se escondem. Embaixo da cama ou dentro do guarda-roupa. 
  Elas adoram doces, mas especialmente, morangos com creme e jujubas. Embora possa parecer uma combinação estranha, elas adoram essa sobremesa e ficam mais prestativas após receberem essa oferenda.
   Para atraí-las, em uma noite de Lua Nova, preferencialmente numa segunda-feira, por volta das nove horas, abra a janela de seu quarto. Acenda um incenso de sua preferência e coloque a tigela com morangos, jujubas e creme na soleira da janela. Ao lado do incenso. Ofereça às fadas meninas e, convidando-as a virem visitá-lo. Feche os olhos. Respire fundo, sentindo o cheiro do incenso. Visualize as fadas meninas vindo até você. Se aproximando timidamente e graciosamente. Fique assim por pelo menos cinco minutos. É muito importante que haja um contato mental quando se está tentando atrair as fadas. Durante esse tempo, pode ser que você sinta alguma coisa, como um arrepio ou uma mão em sua cabeça. Não se assuste! São  elas chegando de mansinho. Quando sentir-se preparado, abra os olhos devagar e pode ir cuidar de sua vida. Deixe o incenso queimar até o fim. Na manhã seguinte, se desfaça da oferenda, a jogando fora. Eu não recomendo que se coma essa oferenda, pois todo aquele que come da comida das fadas é condenado a ficar no mundo delas para sempre. E pensem comigo; você deu a oferenda a ela, certo? Então, oficialmente, é a comida das fadas. Não se pode comer da comida das fadas. A menos, é claro, que você esteja desesperado para ser raptado por elas. ©
  

Trasgo

Trasgo é um ser encantado do folclore do norte de Portugal, especialmente da região de Trás-os-Montes. Rebeldes, de pequena estatura, os trasgos usam gorros vermelhos e possuem poderes sobrenaturais.
Aparentados com os trasnos galegos, os trasgus asturianos, os duendes castelhanos e os follets e donyets catalães, os trasgos pregam partidas e fazem maldades: partem louça, quebram vidros, arrastam móveis, espalham a fruta, mudam os objectos de lugar. Tal como o Zanganito e o Fradinho da mão furada o trasgo é um ser sobrenatural que parece-se com os seres humanos, é de baixa estatura e faz travessuras, principalmente de noite, dentro das casas. Segundo as antigas crenças, os trasgos são pequenas “almas penadas”, crianças que não foram batizadas que retornam para pregar partidas. Por este motivo, Trasgo pode também significar: aparição fantástica, espírito, diabrete, génio, duende e, em sentido figurado, pessoa traquinas.

No concelho de Vimioso, ainda há ruínas de um velho “moinho dos trasgos”.
Os trasgos são por vezes confundidos com os tardos.
Segundo Alexandre Parafita tais criaturas, “pela sua descrição, parecem corresponder aos famosos duendes, gnomos ou elfos da mitologia dos países nórdicos”, porém, “ao contrário destes, os trasgos são praticamente desconhecidos nas sociedades modernas, ditas civilizadas, porquanto a sua sobrevivência está circunscrita a uma cultura popular estritamente oral, que sempre foi subalternizada pelas sociedades mediáticas”.

Bacantes, as ninfas más


Você gosta de ninfas, aquelas belas donzelas imortais gregas, representadas nuas se banhando em um lago, nas pinturas antigas? Mas o que você pensa que acha sobre elas, hum? O filme A Floresta dos condenados ( Forest of the Damned) nos apresenta uma face demoníaca dessas belas criaturas. Embora o autor não tenha se preocupado muito em classicar os tipos de ninfas (porque existem vários, veja no blog Deleite das ninfas), fica fácil idêntificar que só pode tratar-se das temíveis Bacantes, ninfas malévolas e lúxuriosas que comiam a carne dos homens e convertiam as mulheres em suas seguidoras.

O Mito das Bacantes


As Mênades, também conhecidas como Bacantes, Tíades ou Bassáridas, eram fanáticas mulheres seguidoras e adoradoras do culto de Dioniso, conhecidas como selvagens e enlouquecidas porque delas não se conseguia um raciocínio claro. Durante o culto dançavam de uma maneira muito livre e lasciva, em total concordância com as forças mais primitivas da natureza.

Os mistérios que envolviam o deus Dioniso provocavam nelas um estado de êxtase absoluto e elas entregavam-se à desmedida violência, derramamento de sangue, sexo, embriaguez e autoflagelação. Estavam sempre acompanhadas dos sátiros embalados pelos sons dos tamborins dos coribantes, formando uma espécie de trupe que acompanhava o deus do vinho nas suas aventuras. Andavam nuas ou vestidas só com peles, grinaldas de Hera e empunhavam um tirso - um bastão envolto em ramos de videira.
Por onde passavam iam atuando como chamariz na conversão de outras mulheres atraindo-as para a vida lasciva. Evidentemente que o comportamento livre e desregrado delas causava apreensão, senão pânico nos lugarejos e cidades onde o cortejo báquico passava. Quando assaltadas por um furor qualquer, não conheciam limites ao descarregar a sua cólera. O maior divertimento das Mênades ou Bacantes era submeter os homens ao sofrimento, despedaçando-os antes de comê-los enquanto estavam em transe. Por isso, obrigavam-se a procurar refúgio no alto das montanhas, onde podiam exercer sua estranha liturgia sem a presença de olhares de censura ou reprovação.
 As Mênades estão presentes no mito de Orfeu, que se recusava a olhar para outras mulheres após a morte de sua amada Eurídice. Furiosas por terem sido desprezadas, as Mênades o atacaram atirando dardos. Os dardos de nada valiam contra a sua música mas elas, abafando sua música com gritos, conseguiram atingi-lo e o mataram. Depois despedaçaram seu corpo e jogaram sua cabeça cortada no rio Hebro, que flutuava cantando: "Eurídice! Eurídice!"

Por sua crueldade, às Mênades não foi concedida a misericórdia da morte. Quando elas bateram os pés na terra em triunfo, sentiram seus dedos entrarem no solo. Quanto mais tentavam tirá-los, mais profundamente eles se enraizavam até que elas se transformaram em silenciosos carvalhos. E assim permaneceram pelos anos, batidas pelos ventos furiosos que antes se emocionavam ao som da lira de Orfeu.
 No mundo grego e romano, a Bacchanalia ou Bacanais eram festas em honra de Dioniso e as sacerdotisas que organizavam a cerimônia eram as Bacantes. O culto primitivo era exclusivamente feito por mulheres e somente para mulheres, cujo culto teve início na época de Pã. Introduzido em Roma em 200 a.C., a partir da cultura grega do sul da Itália ou através da Etruria influenciado pela Grécia, os bacanais eram realizados em segredo e com a participação exclusiva de mulheres no bosque de Simila, perto da Aventino.
 Posteriormente, os rituais foram extendidos aos homens mas denunciado por um jovem que se recusava a participar das celebrações, o Senado, temendo que houvesse alguma conspiração política, proibiu as festas prometendo recompensas a quem desse informações sobre os rituais. Apesar da severa punição infligida àqueles que violassem o decreto, os bacanais continuaram a ser realizados no sul da Itália. O carnaval vem do legado atual do antigo Bacchanalia, Saturnália e Lupercalia. Na obra intitulada Dionísiacas são citadas dezoito Ménades:

  • Acrete - o vinho sem mistura
  • Arpe - a flor do vinho
  • Bruisa - a florescente
  • Cálice - a taça
  • Calícore - a formosa dança
  • Egle - o esplendor
  • Ereuto - a corada
  • Enante - a foice
  • Estesícore - a bailarina
  • Eupétale - as belas pétalas
  • Ione - a harpa
  • Licaste - a espinhosa
  • Mete - a embriaguez
  • Oquínoe - a mente veloz
  • Prótoe - a corredora
  • Rode - a rosada
  • Silene - a lunar
  • Trígie - a vindimadora

Filme Floresta dos Condenados 

Conta a lenda que existem belas e mortíferas ninfas que habitam as sombras da antiga Floresta Miranda. Expulsas do paraíso, depois de serem contaminadas pelas emoções humanas de sensualidade e desejo, esses anjos caídos agora rondam a floresta, atraindo vítimas desprevenidas com sua beleza antes de seduzi-las e mata-las cruelmente.

  Viajando pelo campo nas férias de verão, cinco adolescentes acidentalmente  atropelam uma garota numa estrada escura. Feridos no meio do nada, eles tentam buscar ajuda. Quando encontram uma cabana escondida no coração da mata, eles pensam que suas preces foram atendidas, mas infelizmente os problemas estão apenas começando.
  A cabana pertence a Stephen (Tom Savini, "Um drink no inferno", "Madrugada dos mortos" e o recente "Terra dos mortos"), que já viu as amaldiçoadas ninfas com os seus próprios olhos, quando era criança. Ele assistiu indefeso as criaturas devorarem brutalmente seus pais e desde então, Stephen vive na floresta, usando os passantes como isca, na tentativa de conseguir sua sangrenta vingança.
  À medida que a noite passa, os jovens lutam para sobreviver, aterrorizados pelas demoníacas criaturas lá fora, cuja fome de carne humana parece insaciável. Um a um, os garotos são exterminados, até sobrar apenas Moly e Judd.
  Apenas duas certezas: que eles tem que dar um jeito de sobreviver a essa noite, se quiserem ver o sol novamente, e ... Que há muito mais que a lenda nessa história...
  Nunca o medo foi tão encantador...
 Nunca a sedução foi tão assustadora... Na floresta dos condenados.

Só não vale pensar que todas as ninfas são más, depois de ver o filme!